segunda-feira, 16 de outubro de 2017

O sonho de Rafael




Na busca incessante por si mesmo,
despiu-se dos preconceitos,
dos paradigmas
e, inclusive,
de seus próprios medos.

Então, viu-se nu em praça pública.

E descobriu-se feliz.
Pleno       e      feliz.
Durante os exatos cinco segundos necessários para uma ideia petrificada lhe acertar a fronte.


quinta-feira, 31 de agosto de 2017

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Santa Sexta




Amigos, estejam em comunhão.
Traga o pão de alho e o vinho, 
Reverendo Garçom.


(Ao final da leitura meça uma reverência e brinde)

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Cartas de Agosto



Os ipês ainda estão floridos,
meu querido amigo,
abrandando toda a secura do nosso inverno.



* Porque Agosto é tão comprido que dá até saudade...

domingo, 6 de agosto de 2017

estática




aquela sensação de despertar-se
em coma
o tempo passou e não passamos


o pretérito veio me visitar
estranheza vaga
percebi que a pedra no caminho sou eu



quinta-feira, 6 de julho de 2017

Boas intenções

O amor vem de onde menos se espera.




Autch! E uma baita dor de cabeça.
Como assim? Uma pedrada!?
Olho pro lado: Uau, que gato!
Coração apressado.
Desconfio e olho pra cima:
Aff! Lá está ele, meu Cupido atrapalhado.
 


quarta-feira, 21 de junho de 2017

quarta-feira, 14 de junho de 2017









sonho      ledo       sonho
bebo mentiras em sua boca
flagela          medo     despedaça
a lágrima rouca ecoa verdade mouca
 



 

Adeus 
                                                 sempre...   
Sua imagem                           para   
aos poucos vai                  
desaparecendo              -se   
                       sublimar



14/09/2008 desconstruí-lo em 14/06/2017

domingo, 11 de junho de 2017

Retorno



Desculpe minhas ausências.
Desculpe meus silêncios.
Vagarosa e monossilábica,
mas ainda sou eu, anestesiada.
Fóssil e inerte.
Degelo
e luto.


quinta-feira, 8 de junho de 2017

na multidão




na multidão


os rostos passam
apressados        sisudos        silenciosos
escravos do relógio





(15/08/2009 reescrito em 08/06/2017)

quinta-feira, 25 de maio de 2017

O Sol existe.



É quarta de marcha
de grito
de gás
e lágrimas.
A mão que se levanta contra o povo
também é vítima.
Cega.
Fantoches silenciados:
uma mentira de fardas.
Maiakovski nunca esteve tão vivo.


sexta-feira, 19 de maio de 2017

Musical



No sobe e desce das cortinas 
-teatro da vida- 
remendo esse amor todo o dia.

 

sexta-feira, 5 de maio de 2017



Aniversário


Ganhou seu coração, seu bem mais valioso.
Sorriu, agradeceu, fez um gesto de cortesia.
No dia seguinte: - Não serviu.

Trocou por um minigame nas Casas Bahia.


* 05.11.2007
Relido em 15.05.2017

segunda-feira, 27 de março de 2017

Caminhando e Cantando


Caminhando e Cantando

Segunda-feira:
Nem direita, nem esquerda.
Hoje eu estou do avesso mesmo.

Publicado originalmente via Twitter

sábado, 1 de outubro de 2016

Inspiração



Inspiração é um estado de gravidez,
gravidez de palavras.

E estando grávida de palavras,
tinha enjoo do tédio
e das noites sem vaga-lumes.

Para não vomitar devaneios
bebia chá de conchas com hortelãs
e ouvia prosa de bem-te-vis.


28.11.2007 reescrita em 1º.10.2016

sábado, 12 de março de 2016

terça-feira, 21 de maio de 2013

... suspiros de fada




... suspiros de fada

tricotava pôr-do-sol
na cadeira de balanço
ninava doces lembranças...


sábado, 25 de agosto de 2012

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

toda prosa






o sol arteiro sobe

araras tagarelas 
de butuca no mangueiral




reescrito em 30.06.2017

Sol-zinho



as árvores se foram
do topo do poste
o passarinho brinca de telefone-sem-fio






Sol-edad



Uma pipa solitária
pinta no céu:
charme no blush poente.

Sertanejo destino



Sertanejo destino

Erramos
             por terras áridas
             vapora nossos sonhos...










Espiadinha

 
 
Espiadinha

Pia na Cozinha.
Pia na panela.
Curioso passarinho
entrou pela janela.
 
 




sexta-feira, 20 de julho de 2012

Refrão



Refrão

O resumo é um remendo.
- O in-verso copia
a meta(e)stase da poesia.


Refazendo

 

Refazendo

viro salto
               iiiii
                     nova
                             ação
                   - nada          nada -
                  Eu no mesmo lugar...

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Três Marias



 
Três Marias

 
A menina
 
Imaginação pintou seus olhos.
Esperança e Curiosidade, seus tons preferidos,
teciam cirandas com a relva em orvalhos.

 
A mulher

Vestia-se de Mansidão
e, sempre que podia, ria.
Ria da Inocência da Vida e toda sua doce confusão.

 
A vovó

Recontar era sua chama.
Mesmo assim, à tardinha
ninava o sol em seu xale estampado de silêncios.


Imagem: As três idades da mulher, de Gustav Klimt